Que se volte a luz!

Desatinos e Devaneios...

A Lagarta e a Grama Verde



Ontem estava olhando a grama daqui da minha casa quando reparei que algo se mexia, estranho, cinza, mas a minha curiosidade foi maior e fui chegando perto, e então vi uma lagarta que saía do seu casulo. Passei um tempo olhando para ela e vendo com que velocidade ela se mexia lutando por sua sobrevivência e com uma fome que ia destruindo tudo que era verde que ela encontrasse pela frente.

Assim como ela, todos nós passamos por dificuldades, por problemas que nos deixam presos, sufocados, amargurados com a vida, mas não podemos baixar a cabeça, precisamos de forças e sair do nosso casulo e ir atrás do que nos faz forte. A nossa grama verde. E o que é a grama verde para você?

Para conseguir nossa grama verde é preciso traçar metas, sermos objetivos e de vez em quando conferir se estamos mesmo no caminho certo, se estamos fazendo tudo perfeitamente como planejado. Mais é bom deixar claro que nem sempre tudo dá certo. E se der errado? Se der errado é muito simples, recomece, analise, ache o erro, revise para que não se esqueça de nada e recicle para que novos sonhos sejam conquistados com seu aprendizado durante a jornada.
É preciso calcular os nossos passos, para que se algo for tortuoso, desviar do caminho para uma nova rota, o chamado plano B, se possível, coloque todas as outras rotas, uma com certeza irá se ajustar a você, mas se ainda persistir no plano A, trace novos modelos para alcançar o que deseja.

Nesta jornada, não podemos deixar de sonhar, não falo apenas daqueles sonhos sem nexo durante a noite, falo de sonhos de olhos bem abertos, com a esperança de que se vai conseguir e da batalha que terá que ser ganha para conquistar o prêmio, a grama verde.

Não devemos traçar metas apenas para amanhã, depois ou daqui a quinze dias, é preciso ir mais além, traçar metas para o ano que vem, para daqui a cinco anos, para daqui a dez, para a vida inteira. Sempre renovar e ver o que você está fazendo para conseguir, seus esforços, seus valores. Uma dica muito valiosa, reclame menos, aja mais!

Assim como uma lagarta, devemos sair do nosso casulo, ir além, buscar nossa grama verde, devemos ir em busca dos nossos sonhos, nossos anseios. Eu já decidi ir atrás da minha, e você?

Carpe diem
Márcio Dadox
PS: Foto de Jurema, a lagarta que vive agora na minha casa. (por que eu acho que toda lagarta é fêmea?)

3 comentários:

Su disse...

Passei e adorei, por isso uma maequinha aqui deixei!

Minha "poesia" a lá Batatinha como nasce, é so mesmo para dizer que o seu blog é bem legal!
Vou te linkar, para não esquecer de voltar!
Bjooossss

Rodrigo Brower disse...

A natureza sempre nos dá grandes exemplos de vida. Natal é lindo, minha vô mora, fui algumas vezes.=D

Anônimo disse...

Quem Sai do casulo é borboleta! Esse é um tipo de abrigo q ela constroi!